O 1º site político de Mato Grosso do Sul   |   24 de Maio de 2024
Publicidade

Haddad teria procurado Pacheco dizendo entender a desoneração de prefeituras

A conversa entre Haddad e Pacheco foi confirmada por pessoas próximas ao ministro e ao presidente do Senado

03/04/2024 - 12h10

Brasília 

Com CNN

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, e o presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), durante sessão no Senado (Foto: Pedro França/Ag. Senado)

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, procurou o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, para evitar maiores ruídos e dizer que entende a posição do Senado sobre manter a desoneração da folha de pagamento de municípios. Porém, o governo vai insistir em tentar manter a desoneração via projeto de lei.


A conversa entre Haddad e Pacheco foi confirmada por pessoas próximas ao ministro e ao presidente do Senado.


O diálogo aconteceu por troca de mensagens, após o chefe da equipe econômica dizer publicamente que não foi avisado previamente sobre a decisão e cobrou um pacto dos Poderes pelo equilíbrio fiscal.


Também em coletiva à imprensa, Pacheco alegou questões constitucionais para não prorrogar a desoneração das prefeituras. Negou irresponsabilidade fiscal e disse que o Planalto foi avisado sobre a decisão via Alexandre Padilha, ministro das relações institucionais.


A avaliação de integrantes do governo é de que o componente eleitoral pesou, porque manter a decisão poderia gerar desgaste com prefeitos em ano de eleição municipal.


Um encontro presencial pode acontecer em breve, mas não há data marcada. De ambos os lados, a mensagem passada a partir de agora é de que Pacheco e Haddad estão alinhados ao diálogo.


Apesar dos ânimos acalmados, a fazenda não descarta judicializar a questão, mas trata o projeto de lei sobre o assunto apresentado pelo líder José Guimarães (PT-CE) na Câmara como o “plano A”.


O impacto previsto com a manutenção da desoneração para os municípios é de R$ 10 bilhões. A proposta de Guimarães sugere a reoneração com alíquotas graduais, voltando aos 20% somente em 2027.

Leia Também
Comente esta notícia
0 comentários
Mais em Política
Colunistas
Ampla Visão
Copyright © 2004 - 2015
Todos os direitos reservados
Conjuntura Online