O 1º site político de Mato Grosso do Sul   |   24 de Fevereiro de 2024
Publicidade

Eleições municipais sem influência nacional

28/10/2023 - 09h07

PARABÉNS! Repercute bem na classe política e junto à opinião pública a iniciativa do Governador Eduardo Riedel de conceder remuneração mensal aos cuidadores (de baixa renda) de pessoas com deficiência. O projeto que tramita na Assembleia objetiva a melhoria da qualidade de vida das pessoas fragilizadas pela pobreza e exclusão social.


INÉDITO: Pioneiro no Brasil o nosso Governo mostra sensibilidade ao se preocupar com as duas mil pessoas no MS que por várias situações necessitam de cuidadores que receberão benefício social de R$900,00 por mês. O trabalho em andamento dará a visão do drama que atinge tantas pessoas e famílias. Parabéns ao governador cuidando das pessoas. Isso conta!


RASGANDO A SEDA: Vivemos outros tempos no legislativo estadual. Os elogios ao governador Riedel (PSDB) tem sidos constantes, também vindos da bancada do outrora raivoso PT. Assim, a ‘política de São Francisco de Assis’ praticada por Lula junto ao insaciável ‘Centrão’ é reeditada aqui com resultados esperados. É dando que se recebe.


RETRATOS: A bancada do PSDB caiu de 54 para 13 deputados federais. MS tem hoje a maior bancada estadual com 3 representantes. Já se sabe que os deputados tucanos Jamilson Name, Mara Caseiro e Pedro Caravina devem concorrer à Câmara Federal. Pelo andar da carruagem haverá sim espaços para novos nomes.


SABIDO: Respondendo ao colunista Azambuja até admite o estigma de elitista que o PSDB carrega, mas faz duas ressalvas: primeira - essa fama não se enquadra ao nosso estado onde a sigla tem a maioria das prefeituras – segunda – todos os programas sociais foram criados no governo de FHC e depois apenas rebatizados pelo Governo do PT.


CONFRONTO: Na eleição do diretório tucano foi dada a senha da posição do PSDB quanto as relações com a prefeita Adriane Lopes (PP). Aconteceram críticas à atual gestora e com isso zerou a chance de um possível acordo. Assim cada qual seguirá seu caminho. Ao leitor a recomendação de ficar antenado nos próximos capítulos. É o jogo.


ADVERTÊNCIA: A mídia tem mostrado a situação financeira humilhante de gente famosa em várias áreas de atuação. São pessoas que ganharam bem na época, mas que embriagadas pelo sucesso não foram previdentes, não se prepararam para o futuro e hoje vivem de favores financeiros. Notícias que servem de alerta à muita gente por aí.


UTOPIA: Candidaturas desprovidas de lideranças realmente reconhecidas e com base somente nas bandeiras partidárias não costumam prosperar nas eleições municipais. O aviso serve igualmente para Lulistas e Bolsonaristas sem bagagem que se preparam para tentar surfar nesta onda em 2024. Transferir prestígio usando o PIX não funciona.


SEPARAÇÃO: O discurso no pleito municipal não comporta abordagem de temas nacionais. A opinião pública estará antenada as propostas para o hospital, as sonhadas pontes, as casas populares, o asfalto, no colégio, novos cursos e outras melhorias. Além de político, o candidato precisa ser coerente entre a promessa e a sua capacidade e preparo. Fora disso é 171.


ESCOLA? Observo, alguns vereadores do interior brilham os olhos ao assistir as sessões da Assembleia Legislativa. Injeção de ânimo em suas pretensões. Mas há de verificar a distância entre as duas realidades. Apenas a empolgação sem conteúdo não prospera. A influência das redes sociais com o ‘maledetto’ celular será arrasador.


AOS NAVEGANTES: Esqueçam o cumpadrismo do passado, os favores e os avais prestados, os laços familiares dilacerados pelos interesses de cada um de seus membros. Há dois tipos de eleitores: os sérios, exigentes que comparam os perfis dos candidatos e aqueles céticos que apostam na chance de levar algum tipo de vantagem pessoal.


NO BOLSO: Mais dúvidas que certezas. A reforma tributária é um mistério. Deve unificar impostos e beneficiar os mais pobres. Os estados (MT-MS) que produzem muito e consomem pouco seriam penalizados. Espera-se que a compensação pelas perdas seja compatível. Contra nós há força dos estados ricos consumidores e do Nordeste.


NÚMEROS: Em 2023 a arrecadação com impostos no MS baterá recorde. Nestes 9 meses foi de 81.05% do total arrecadado em 2022. De 2013 a 2023 quase triplicou (172%) em arrecadação com impostos. O ICMS é a maior fonte com 83,49% seguido com as taxas/contribuições - 7,47% do total. Depois vem o IPVA com 6,69% seguido do ITCD /ITCMD – 2,24% do bolo arrecadado.


ARGENTINOS: ‘Italianos que se imaginam ingleses e falam o espanhol. ’ São os vizinhos que merecemos. Quanto ao 2º turno presidencial o quadro é surrealista: o povo cansado do paternal Peronismo disposto a votar num maluco. Da vaidosa e arrogante Argentina sobraram apenas o tango e o Messi. Nada mais!


DOURADOS: Vista como vitória política a absolvição pela justiça da deputada Lia Nogueira, acusada do crime de ameaça de morte. No fundo o episódio seria fruto das picuinhas e maldades que povoam o universo douradense. Enfim, de pouco adiantam as 4 universidades e os 202 cursos de graduação se Dourados não evolui politicamente.


DINÂMICA: Se a política é fruto dos avanços e conflitos sociais onde o homem está presente, não há como admitir que ela seja estática. Adversários ontem – companheiros hoje. Os protagonistas podem reavaliar sim os seus conceitos sem perda de dignidade e de outros valores junto a opinião pública. A política permite isso...e muito mais.


POR ANALOGIA: Voltou o caso da troca do nome da cidade de João Pessoa para Parahyba, antiga denominação da capital da Paraíba. Não seria o caso de se debater a troca do nome da cidade de Rio Verde do Mato Grosso? Para o deputado Junior Mochi, representante da região, é preciso que a Câmara Municipal inicie o movimento. Mas pelo visto falta vontade política naquela cidade.


REALIDADE PARALELA (da esquerda): “ O impeachment de Dilma foi golpe e a Lava Jato é golpista e culpada pela recessão que Rousseff causou. Os bilhões de reais roubados na Petrobras e adjacências que foram devolvidos? Detalhe sem importância diante do golpe perpetrado. O PT é um partido de passado imaculado e Lula, o inocente injustiçado, voltou ao poder por reconhecimento popular, sem usar como escada a rejeição à boçalidade de Bolsonaro”. (Mario Sabino)

SABEDORIA DOMÉSTICA:


O pior cego é aquele que vê a louça na pia e não lava.

Leia Também
Comente esta notícia
0 comentários
Mais em Manoel Afonso
Colunistas
Ampla Visão
Copyright © 2004 - 2015
Todos os direitos reservados
Conjuntura Online
Rua São Remo, 390
Jardim Vilas Boas, Campo Grande / MS