O 1º site político de Mato Grosso do Sul   |   24 de Novembro de 2017
Publicidade

Minha Casa, Minha Vida contempla Campo Grande com 1.234 moradias

Cabe ao Governo do Estado a contrapartida para o investimento, que deve ter custo de, aproximadamente, R$ 85 milhões.

06/11/2017 - 15h35

Campo Grande

Programa Minha Casa, Minha Vida (Foto: Prefeitura )

As viagens do prefeito Marquinhos Trad a Brasília, desde que assumiu a Prefeitura de Campo Grande, tiveram ótimo resultado. Nesta segunda-feira (6), o Governo Federal divulgou o resultado das propostas habilitadas para o Programa Minha Casa, Minha Vida – Fundo de Arrendamento Residencial, garantindo 1.234 apartamentos para Campo Grande.


Os projetos selecionados asseguram 368 apartamentos no Condomínio Residencial Portal Laranjeiras; 256 para os residenciais Sírio Libanês I e II; 224 para o Residencial Jardim Aero Rancho Ch7; 224 para o Residencial Jardim Aero Rancho Ch8; 96 para o Condomínio Residencial Sumatra e 66 para o Residencial Jardim Inápolis.


A novidade encerra ciclo de quatro anos em que não foram contratadas moradias populares na Capital. Só três municípios do Estado foram contemplados. Além de Campo Grande, Paranaíba e Sete Quedas tiveram projetos selecionados.


“Nos primeiros dias reunimos a bancada federal e fomos a Brasília para solicitar moradias para nossa cidade. Agora, temos essa ótima notícia, resultado do nosso empenho em apresentar bons projetos. São 1.234 famílias que vão realizar o sonho de ter casa própria”, declarou o prefeito Marquinhos Trad.

Agora a prefeitura tem até 180 dias para complementar o projeto inicial, de acordo com as exigências da Caixa Econômica Federal, que é agente financiadora. A administração municipal fica responsável pela doação da área, que já está garantida, e isenção dos tributos, conforme as regras do Minha Casa Minha Vida.


Cabe ao Governo do Estado a contrapartida para o investimento, que deve ter custo de, aproximadamente, R$ 85 milhões. A expectativa é de que a prefeitura resolva estas questões burocráticas antes dos 180 dias.


A distribuição das casas seguirá as determinações da Lei Complementar n. 299 (29 de maio de 2017), criada pela atual gestão, que garante a obrigatoriedade de sorteio em praça pública para os programas habitacionais da Emha. O processo de seleção deverá ocorrer única e exclusivamente através do sorteio (respeitando os critérios instituídos para famílias de baixa renda que recebem até 3 salários mínimos).


O cidadão deverá ser cadastrado na Agência, se inscrever para participar de algum processo seletivo realizado pela EMHA, habilitado no que diz respeito aos requisitos para participar do sorteio indicado ao empreendimento em questão, a fim de se tornar beneficiário final do processo.

Leia Também
Comente esta notícia
0 comentários
Publicidade
Mais em Municípios
Colunistas
Ampla Visão
Coluna do Roberto
Raquel Anderson
Enquete
Você acha que a operação Lama Asfáltica vai acabar com algum político ou autoridade na cadeia?
Sim
Não
Não sei
Copyright © 2004 - 2015
Todos os direitos reservados
Conjuntura Online
Rua São Remo, 390
Jardim Vilas Boas, Campo Grande / MS