O 1º site político de Mato Grosso do Sul   |   25 de Maio de 2018
Publicidade

Governo promete socorrer 'municípios flagelados' em Mato Grosso do Sul

Governadora em exercício visitou três cidades da região sul, acompanhada da Defesa Civil e do secretário de Infraestrutura, para avaliar danos causados

12/01/2018 - 15h21

Campo Grande

Rose visita cidades do interior (Foto: Governo)

“Todo o Governo do Estado está mobilizado e à disposição para enfrentar junto com os municípios esse momento de dificuldade”, declarou a governadora em exercício Rose Modesto hoje (12.1), em visita a municípios da região sul do Estado afetados pelas chuvas. Ao todo, 16 cidades de MS estão sob decreto municipal de situação de emergência.


Nesta manhã, Rose Modesto desembarcou em Sete Quedas acompanhada do secretário de Infraestrutura Marcelo Miglioli e do coordenador da Defesa Civil Estadual, coronel Isaías Ferreira Bittencourt. Eles estiveram em três pontos críticos afetados pela força das águas.


O primeiro deles foi na Avenida Dom Pedro, interditada porque corre risco de desmoronamento. O segundo foi uma estrada vicinal que liga propriedades rurais à MS-160, que liga Tacuru a Sete Quedas, e também está interditada. O terceiro ponto é outra estrada vicinal que liga a MS-160 a assentamentos rurais, aldeias e à Linha Internacional, na divisa com o Paraguai.


“Estamos aqui em nome do governador Reinaldo Azambuja, que pediu atenção especial em relação aos municípios afetados. O governo já está presente, temos equipes da Agesul mobilizadas fazendo levantamento em determinadas áreas e já atendendo outras. Técnicos da Defesa Civil também estão fazendo um importante trabalho, monitorando o nível dos rios e vistoriando os locais afetados”, destacou Rose.


Prefeito de Sete Quedas, Francisco Piroli revelou a preocupação do setor produtivo com a recuperação dos acessos. “A gente precisa ter agora unidade, calma e paciência junto com o Estado em busca de uma solução”, disse. 


Coordenador da Defesa Civil do Estado, Isaías Bittencourt detalhou que equipe de técnicos já esteve no local para levantamento dos danos e tem acompanhado a situação com o intuito de homologar o decreto emergência.


Para o secretário de Infraestrutura Marcelo Miglioli, o momento é de resolver as situações emergenciais para garantir o acesso da população. “Nós vamos proteger o ir e vir pensando nas pessoas e no escoamento da safra”, adiantou.


Apoio na reconstrução 


Marcelo Miglioli detalhou que o processo de levantamento, decretação e homologação da situação de emergência é necessário legalmente para que o Estado possa oferecer apoio financeiro. A previsão é que nos locais onde a situação estiver regulamentada, seja feito convênio com as prefeituras para repasse de óleo diesel que será usado na reconstrução das estradas vicinais. 


Quanto as administrações que não tiverem maquinário, serão enviadas empresas para dar suporte nos trabalhos por intermédio da Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentosl).  “O Estado está presente e vai ser parceiro”, assegurou. No início da tarde, a equipe do governo desembarcou em Ivinhema de onde seguiu para Novo Horizonte do Sul.

Leia Também
Comente esta notícia
0 comentários
Publicidade
Mais em Municípios
Colunistas
Ampla Visão
Coluna do Roberto
Raquel Anderson
Enquete
Você acha que a operação Lama Asfáltica vai acabar com algum político ou autoridade na cadeia?
Sim
30.92%
Não
63.29%
Não sei
5.80%
Copyright © 2004 - 2015
Todos os direitos reservados
Conjuntura Online
Rua São Remo, 390
Jardim Vilas Boas, Campo Grande / MS