O 1º site político de Mato Grosso do Sul   |   15 de Agosto de 2018

Após pressão popular, Marquinhos Trad aborta taxa de lixo em Campo Grande

Segundo Marquinhos Trad, será discutida uma maneira para encontrar um valor adequado que faça justiça social e as pessoas possam pagar.

10/01/2018 - 21h05

Campo Grande

Prefeito Marquinhos Trad (PSD) (Foto: Divulgação )

O prefeito de Campo Grande Marquinhos Trad (PSD) pediu à Câmara Municipal a revogação da cobrança da taxa de lixo, incluída no carnê do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano ) de 2018. Além disso, o prazo para pagar o imposto com 20% de desconto que venceria nesta quarta-feira (10) será prorrogado para o dia 23 de fevereiro.


"Quando eu voltar vamos criar um grupo para discutir a maneira para encontrar um valor adequado que faça justiça social e as pessoas possam pagar", armou Marquinhos ao G1.


A prefeitura admitiu erro no cálculo da taxa de lixo. Os vereadores zeram uma reunião em regime de urgência com representantes da prefeitura para discutir sobre a polêmica taxa nesta tarde. Diante de tanta discussão, havia sido decidido separar a cobrança da taxa e do IPTU, mas o contribuinte precisaria procurar a Central do IPTU, ao lado do Paço Municipal.


Também foi realizada uma reunião entre o Procurador-Geral de Justiça Paulo Cezar dos Passos, o Procurador de Justiça e Coordenador do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça do Consumidor Aroldo José de Lima e do assessor especial e promotor de Justiça, Paulo César Zeni, no gabinete do procurador-Geral de Campo Grande Alexandre Ávalos.


A OAB (Ordem do Advogados do Brasil), seccional Mato Grosso do Sul, foi outro órgão que questionava a forma cobrada da taxa de lixo. A instituição ainda pediu a prorrogação do prazo do pagamento com desconto.


Segundo a assessoria de imprensa, até o meio da tarde cerca de mil pessoas procuraram a central para fazer o pedido.


Depois do tumultuo de ontem, nesta quarta-feira o atendimento foi mais tranquilo.


O contribuinte que já pagou a taxa não terá prejuízo, segundo o prefeito."Quem já pagou vai ter duas alternativas: pode compensar com outro lançamento ou pedir restituição e vai receber o mais rápido possível após as questões burocráticas", disse Marquinhos.


O presidente da Câmara, vereador João Rocha (PSDB), disse que os vereadores vericaram

todos os pontos do projeto antes de votar e aprovar em plenário, em novembro de 2017. Nas comissões o foram estabelecidas nove divisões para a cobrança da taxa do lixo.


Com o novo cálculo, a estimativa da prefeitura era de arrecadar cerca de R$ 80 milhões só com a taxa de lixo. O valor representa 170% se comparado a arrecadação do ano passado que foi de R$ 30 milhões. Por causa da cobrança, muitos cidadãos se assustaram quando receberam o carnê do IPTU, ainda mais depois do anúncio do prefeito de reajuste de 2,56%.

Leia Também
Comente esta notícia
0 comentários
Mais em Municípios
Colunistas
Ampla Visão
Coluna do Roberto
Raquel Anderson
Enquete
Você acha que a operação Lama Asfáltica vai acabar com algum político ou autoridade na cadeia?
Sim
30.92%
Não
63.29%
Não sei
5.80%
Copyright © 2004 - 2015
Todos os direitos reservados
Conjuntura Online
Rua São Remo, 390
Jardim Vilas Boas, Campo Grande / MS