O 1º site político de Mato Grosso do Sul   |   24 de Novembro de 2017
Publicidade

Velório simbólico da CLT deve marcar protesto contra as reformas na capital

No Dia Nacional de Mobilização contra as anti-reformas Campo Grande, interior e todo País fazem manifestações

08/11/2017 - 19h20

Campo Grande

Sindicalistas voltam a protestar na Capital (Foto: Divulgação )

Manifestações populares em Campo Grande, interior de Mato Grosso do Sul e em todo o País vão marcar esta sexta-feira (10), Dia Nacional de Mobilização em Defesa dos Direitos, contra o desmonte da Previdência e pelo fim do trabalho escravo. O movimento nacional e local conta com a participação e apoio de sindicatos, federações de trabalhadores em diversas áreas e as centrais Força Sindical, CSB, CTB, CUT, NCST e UGT.


Uma das atividades programadas para Campo Grande será o “velório” da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) em plena área central da cidade, na Rua 14 de Julho, no cruzamento com a Avenida Afonso Pena, a partir das 10 horas. 


“Muitos direitos dos trabalhadores foram usurpados nesses últimos meses de forma que não vimos outra forma de manifestar nossa indignação se não for assim, sepultando a CLT que foi drasticamente modificada para favorecer o empresariado, em detrimento do trabalhador”, afirma José Lucas da Silva, presidente da Feintramag MS/MT e coordenador da Central dos Sindicatos Brasileiros – CSB e membro do Comitê Estadual Contra as Reformas, formado por centrais, sindicatos e federações de trabalhadores de MS.


Estevão Rocha dos Santos, presidente do Seaac/MS e diretor da Força Sindical regional MS, informou que nesse “Dia Nacional de Paralisação contra as anti-reformas do Temer” será marcada com diversas manifestações públicas em Campo Grande e interior do Estado. 


Na Capital, segundo ele, as atividades começam às 8h com a paralisação da Eletrosul, que faz parte do sistema Eletrobras e que está no pacote de privatizações de Temer; às 9h, ato em frente à Caixa Econômica Federal da Rua Barão do Rio Branco, contra a privatização dos bancos e às 10 horas, início do “velório” da CLT, até às 16 horas, “com panfletagem de esclarecimento à opinião pública sobre as ameaças do Governo contra os trabalhadores, com suas reformas e medidas que penalizam as famílias brasileiras”, explica Estevão Rocha.


Elvio Vargas, membro do Comitê informa outras atividades previstas em Campo Grande: Manifestação do SISTA e ADUFMS na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. As ações, segundo ele, vão ocorrer a partir das 6h30 com panfletagem no Arco da Reitoria; 10h, roda de capoeira no corredor central; 11h, Performance do Alguimar, também no corredor central e às 16h, todos descem para a Praça Ary Coelho, no centro da cidade, para as manifestações dos representantes dos trabalhadores. “Contamos com a presença de todos, sindicalistas e cidadãos comuns, trabalhadores, donas de casa, jovens, todos enfim, pois de uma forma ou de outra, todos estão sendo prejudicados pelas ações do Governo”, afirma Elvio Vargas.


NOVAS REGRAS 


Essas manifestações ocorrerão um dia antes da entrada em vigor da Reforma Trabalhista, aprovada pelo Congresso Nacional e sancionada pelo presidente Temer, sem o apoio popular, que será a maior prejudicada nesse processo. 


“A partir de sábado (11) as reformas entram em vigor em todo o país e isso será de um prejuízo muito grande para todas as classes de trabalhadores desse país”, afirma Antônio César Amaral Medina, coordenador administrativo do Sindjufe/MS (Sind. dos Servidores do Poder Judiciário Federal e Ministério Público da União).


“A reforma trabalhista precariza as relações de trabalho e dá poderes aos patrões para negociarem o que quiserem com seus empregados”, explica Medina. Ele adverte que virá daí o aumento da jornada de trabalho, a redução dos salários; o encolhimento do horário de almoço e o fim do 13º salário e das férias. Será o caos para os trabalhadores, afirma.


O Comitê Sindical Contra as Reformas reforça o convite à comunidade para que todos participem das atividades nesse dia de protesto marcado para esta sexta-feira em Campo Grande, interior de MS e em todo o País.

Leia Também
Comente esta notícia
0 comentários
Publicidade
Mais em Geral
Colunistas
Ampla Visão
Coluna do Roberto
Raquel Anderson
Enquete
Você acha que a operação Lama Asfáltica vai acabar com algum político ou autoridade na cadeia?
Sim
Não
Não sei
Copyright © 2004 - 2015
Todos os direitos reservados
Conjuntura Online
Rua São Remo, 390
Jardim Vilas Boas, Campo Grande / MS