O 1º site político de Mato Grosso do Sul   |   14 de Dezembro de 2017
Publicidade

Amiga de jovem que morreu após tentativa de aborto clandestino depõe

Uma testemunha desistiu e outra justificou a ausência que foi remarcado para fevereiro de 2018. 

29/11/2017 - 23h49

G1 MS

Aline dos Reis Franco deixou outros dois filhos (Foto: Reprodução )

A acusada Simone Maréco Penha, amiga da jovem Aline Franco, de 26 anos, que morreu após tentar fazer um aborto clandestino em Porto Murtinho, região sudoeste de Mato Grosso do Sul, em dezembro de 2016, prestou depoimento na audiência realizada nesta quarta-feira (29).


O advogado Aluysio Ferreira Alves, que defendeu Simone na audiência, disse ao G1 que a Justiça deve suspender o processo contra ela por ter vários fatores favoráveis. Além disso, o laudo sobre a morte consta que a causa foi por problema pulmonar.


O próximo passo é a manifestação do MPE (Ministério Público do Estado) no prazo máximo de 10 dias. Segundo a denúncia do MP, Simone deu uma medicação abortiva à vítima, no início de dezembro, na própria casa em Porto Murtinho.


Sem sucesso, a amiga comprou outro medicamento e enviou pelos Correios para Campo Grande com orientação do técnico de laboratório Dnilson Rodrigues Nunes. A segunda tentativa também não deu certo. Mais uma vez Simone emprestou a casa para Aline, onde foi praticado o aborto por Nunes.


Durante o procedimento, Aline passou mal e desmaiou. O técnico e a amiga a levaram para o hospital da cidade, mas não informaram ao médico sobre o aborto, disseram que ela havia passado mal, caído e batido a cabeça. Por causa do estado grave, a jovem foi transferida para Santa Casa de Campo Grande, mas morreu quando chegou em Jardim.


O técnico de laboratório também foi denunciado por aborto e a audiência dele foi marcada para o dia 8 de março do próximo ano.


Nesta tarde estavam previstas mais duas testemunhas. No entanto, uma desistiu e a outra justificou a ausência, sendo remarcado para o dia 8 de fevereiro e por videoconferência.


Prisão


O técnico de laboratório se entregou à polícia no dia 9 de janeiro deste ano porque tinha um mandado de prisão em aberto por causa da morte de Aline e ficou detido temporariamente até a apresentação da denúncia do MP.

Leia Também
Comente esta notícia
0 comentários
Publicidade
Mais em Geral
Colunistas
Ampla Visão
Coluna do Roberto
Raquel Anderson
Enquete
Você acha que a operação Lama Asfáltica vai acabar com algum político ou autoridade na cadeia?
Sim
Não
Não sei
Copyright © 2004 - 2015
Todos os direitos reservados
Conjuntura Online
Rua São Remo, 390
Jardim Vilas Boas, Campo Grande / MS