O 1º site político de Mato Grosso do Sul   |   19 de Outubro de 2017
Publicidade

FMI eleva previsão de crescimento do PIB em 2018, mas condiciona às reformas

Para o órgão, perspectivas macroeconômicas do país estão submetidas a "ambiciosas reformas estruturais de caráter econômico e fiscal"

18/04/2017 - 17h07

Por Agencia EFE

Christine Lagarde, diretora do FMI (Foto: AFP)

O FMI (Fundo Monetário Internacional) estima que neste ano o Brasil sairá da recessão ao crescer 0,2%, e que em 2018, a economia do país terá um desempenho ainda melhor, com elevação de 1,7%, ante previsão de 1,5% em janeiro.


No relatório "Perspectivas Econômicas Globais" divulgado nesta terça-feira, o FMI aponta que a melhora da situação do Brasil é fruto de "uma menor incerteza política, a distensão da política monetária e o avanço do programa de reforma".


Na coletiva de apresentação dos dados, a chefe da Divisão de Estudos Econômicos Mundiais do FMI, Oya Celsun (Turquia), reconheceu que as investigações sobre corrupção no Brasil produzem um clima de incerteza política. Mas ela ressaltou que o governo tem reafirmado a intenção de seguir com as reformas estruturais, como a da Previdência.


Segundo ela, se o governo conseguir avançar nessa direção, o país terá condições de voltar a uma situação fiscal saudável, capaz de fortalecer um processo de crescimento da economia.


"Prevê-se que o crescimento se recupere gradualmente e se mantenha moderado. Com este pano de fundo, as perspectivas macroeconômicas do Brasil estão submetidas à implementação de ambiciosas reformas estruturais de caráter econômico e fiscal", disse o relatório do fundo.


O FMI recomendou "reformas que abordem as obrigações de gastos insustentáveis, entre outras no sistema de previdência social" e a adoção de "medidas que consigam uma redução do déficit fiscal no início do período".


PIB fraco na virada do ano


Mas o FMI também advertiu que, no final de 2016, "o investimento e o PIB ainda não tinham chegado ao ponto mais baixo" e que em alguns dos estados do país" a crise fiscal continua se aprofundando".

Além disso, o FMI constatou que "a inflação continua surpreendendo por seu baixo nível, o que aumenta as perspectivas de aceleração da expansão monetária".


Neste ano, o FMI prevê para o Brasil uma inflação de 4,4%, e para 2018, de 4,3%. Já o índice de desemprego, segundo as estimativas do órgão, subirá para 12,1% em 2017 e cairá para 11,6% em 2018.

Leia Também
Comente esta notícia
0 comentários
Publicidade
Mais em Economia
Colunistas
Ampla Visão
Coluna do Roberto
Raquel Anderson
Enquete
Você acha que a operação Lama Asfáltica vai acabar com algum político ou autoridade na cadeia?
Sim
Não
Não sei
Copyright © 2004 - 2015
Todos os direitos reservados
Conjuntura Online
Rua São Remo, 390
Jardim Vilas Boas, Campo Grande / MS