O 1º site político de Mato Grosso do Sul   |   30 de Abril de 2017
Publicidade

BC vê inflação na meta e indica que juro pode cair para 8,5% no fim de 2017

Autoridade monetária diz que atual ritmo de corte, de 1%, é adequado, mas não descarta acelerar o passo e promover reduções maiores nos juros.

18/04/2017 - 07h38

Do G1

Vista do prédio do Banco Central em Brasília (Foto: Divulgação )

O Copom (Comitê de Política Monetária) informou que está prevendo a inflação na meta tanto neste ano e no próximo mesmo se a taxa de juros, atualmente em 11,25% ao ano, recuar para 8,5% ao ano no fechamento de 2017. A informação consta na ata da última reunião do Copom, realizada na semana passada, e divulgada nesta terça-feira (18).


Para este ano, a estimativa de inflação do BC, com os juros estimados pelo mercado (8,5% ao ano no fim de 2017) está em 4,1% e, para 2018, em 4,5%. A meta central de inflação para estes dois anos, com base no IPCA, é de 4,5%, mas o teto é de 6%. O mesmo cenário pressupõe taxa de câmbio de R$ 3,23 no fechamento deste ano e de R$ 3,37 no fim de 2018.


"Os membros do Comitê reafirmaram o entendimento de que, com expectativas de inflação ancoradas, projeções de inflação em torno da meta para 2018 e um pouco abaixo da meta para 2017, e elevado grau de ociosidade na economia, o cenário básico do Copom prescreve antecipação do ciclo de distensão da política monetária [corte da taxa de juros]", informou o BC na ata do Copom.


Sobre o ritmo de redução da taxa de juros até o fim deste ano, a autoridade monetária informou que isso dependerá da evolução da atividade econômica, de outros fatores de risco (como a aprovação das reformas e de ajustes na economia brasileira, entre outros).


Acrescentou que considera o atual ritmo de redução dos juros, de 1 ponto percentual - que foi adotado na semana passada - como "adequado". Mas acrescentou que a "atual conjuntura econômica recomenda monitorar a evolução dos determinantes do grau de antecipação do ciclo", ou seja, não descartou a possibilidade de cortar os juros mais rapidamente nos próximos meses.


O mercado financeiro acredita que os juros cairão para 10,25% ao ano no final de maio, para 9,5% ao ano em julho, para 9% ao ano no início de setembro, para 8,75% ao ano em outubro e, na última reunião deste ano, em dezembro, para 8,5% ao ano.


O Comitê de Política Monetária também deu informações sobre a possibilidade de continuar a cortar os juros em 2018. Até o momento, o mercado financeiro acredita que, depois de os juros chegarem a 8,5% ao ano no fim de 2017, a taxa será mantida neste patamar no ano que vem.


Segundo o BC, a "extensão" do ciclo de corte de juros em 2018 dependerá da evolução da atividade econômica, dos demais fatores de risco e das projeções e expectativas de inflação para 2018 e 2019, mas também das estimativas da taxa de juros estrutural da economia brasileira. "Essas estimativas naturalmente envolvem incerteza e poderão ser reavaliadas pelo Comitê ao longo do tempo", informou a instituição.

Leia Também
Comente esta notícia
0 comentários
Publicidade
Mais em Economia
Colunistas
Ampla Visão
Coluna do Roberto
Raquel Anderson
Enquete
Você acha que a operação Lama Asfáltica vai acabar com algum político ou autoridade na cadeia?
Sim
Não
Não sei
Copyright © 2004 - 2015
Todos os direitos reservados
Conjuntura Online
Rua São Remo, 390
Jardim Vilas Boas, Campo Grande / MS