O 1º site político de Mato Grosso do Sul   |   15 de Dezembro de 2017
Publicidade

Abril: só 14 dias de pouca ou nenhuma receita

29/04/2017 - 07h13

Manoel Afonso

1-REFLEXÃO  Mês de Abril – 10 dias de final de semana, 3 dias de feriados e 1 de greve. Total: 14 dias de pouca ou nenhuma receita. Mas no final do mês o empregador tem que arcar com o mês completo de salário. Como ter coragem de empreender neste país. Aí,  brasileiros adiam os planos  ou optam investir no Paraguai. Não é?


2-REFLEXÃO    Por quais razões as centrais sindicais não convocam greve em protesto contra a corrupção descarada no país? Como dizia Roberto Campos: “Nossas esquerdas não gostam dos pobres. Gostam mesmo dos funcionários públicos, que gozam de estabilidade e pagam contribuição para a CUT.”

NO FUNDO  é visível a marca do PT nesta greve com a finalidade de inviabilizar o Governo que administra os escombros desta massa falida originária dos 3 mandatos petistas. Quem está desempregado ( são 14 milhões ) ou quer mostrar serviço dentro da empresa não compactua com isso. Já vimos esse filme.   
 
DESAFIO  é viabilizar o país para o futuro governo mesmo com a Lava Jato e a incerteza  reinando na economia.  Mas no Congresso Nacional ignora-se a realidade e cada qual olha o próprio umbigo. O brasileiro de um modo geral está descrente das ações políticas e dos próprios políticos.

 

ALELUIA  O fim do imposto sindical enfezou o pessoal que mama nas tetas dos 11 mil sindicatos dos empregados. A mamata ocorre também na classe patronal. Dirigentes da Confederação Nacional da Agricultura, por exemplo, levam  ‘vidão’, curtindo a maior mordomia em ‘defesa da classe’.


A PROPÓSITO  Os sindicatos rurais fazem parte dos 5mil sindicatos patronais vorazes em faturar  – na maioria dos casos – em cima dos pequenos proprietários  rurais. Se necessário, executam as dívidas, penhorando tratores, implementos e animais. Mas essa fonte há de secar.  


“SERIA  bacana se a turma que rejeita ‘in limine’ a proposta do governo apresentasse um projeto alternativo que pare em pé, mas não creio que isso ocorrerá. Sua motivação é mais política do que técnica. A dificuldade da sociedade em resolver um problema  que no fundo é aritmético pode soar exasperante, mas faz parte das atribulações do jogo democrático.” ( Helio Schwartsman)


REGISTRO  Nossos senadores Pedro Chaves (PSC), Simone Tebet (PMDB) e Waldemir Moka (PMDB) votaram contra o projeto de Abuso de Autoridade.  Já na Câmara, só os deputados Dagoberto Nogueira (PDT), Vander Loubet (PT) e Zeca do PT votaram contra a Reforma Trabalhista.  Contra  a direção do PSB, a deputada Tereza Cristina votou a favor, o que lhe custou a perda da presidência do diretório estadual da sigla.


‘O DESENTERRADOR’  Essa denominação cai bem ao vereador Vinicius Siqueira (DEM) que  investiga casos ‘cabeludos’  na prefeitura da capital. O primeiro é sobre as permissões ( de compadrio ) de alvarás de taxis. Apenas o crime  prescreve e o ato administrativo é sujeito a nulidade. Ora! Só 10 pessoas detém 15,5% das permissões. Com a CPI aprovada, a Câmara mostra que não quer decepcionar. Isso é bom.


O VEREADOR  Vinicius lembra que seus eleitores são os indignados pela corrupção  que foram as ruas protestar.  Sem rabo preso,  quer ir fundo  em outros casos como dos super salários e das concessões de serviços públicos.  A CPI do táxi presidida pelo vereador será um bom teste para sua musculatura.


RETALIAÇÃO  Naquela famosa gravação o senador Romero Jucá (PMDB) pedia  ao Sergio Machado ( Transpetro )  “  um acordo nacional para estancar a sangria”. Lembra? Aí o Senado fez sua parte para frear a Lava Jato  com  o projeto de Abuso de Autoridade.  Mais uma vez o ‘glorioso’ Senado legislou  em causa própria.  E reclamar pra quem? Ao Baianinho Pipoqueiro?


EM BAIXA  O PT encolheu 27% no país ao não conseguir organizar chapa de 20 filiados para compor  diretórios em 1.120 cidades. Um dos casos é Uberlândia, o 2º colégio eleitoral mineiro.  O seu ex-prefeito petista que não obteve 10% dos votos nas últimas eleições tem a justificativa óbvia: “O povo está odiando o PT por causa dos escândalos da Lava Jato.”


ACABOU?  Após o desastre de 2016, fala-se que uma das  opções  do PT para tentar eleger deputados em 2018 seria coligar com PP do ex-prefeito Bernal. Quanto a situação do deputado federal Zeca do PT, condenado no Tribunal de Justiça local, caiu na Lei da Ficha Limpa. Seria a mesma situação agoniante do deputado estadual João Grandão (PT) condenado pelo TRF de São Paulo no caso ‘Sanguesssuga’.  


‘PESADELOS’  Após as delações na Lava Jato tem muita gente que não consegue dormir por esse país afora. O som da sirene dos Bombeiros é confundido com o barulho das viaturas policiais. As imagens do ex-governador Sergio Cabral (PMDB) e a digna esposa, por exemplo, nas barras da justiça incomodam.


NA CADEIRA Vale esclarecer que a prefeita Hilda Machado, apesar do resultado desfavorável no Tribunal Regional Eleitoral,  continua administrando Fátima do Sul. A lei permite esse direito até que o Tribunal Superior Eleitoral aprecie seu recurso cabível até 3 dias após a publicação do acórdão. Quando o TSE julgará o caso, ninguém sabe.


SURREALISTA a situação. O Ministério Público Estadual, que investiga a denúncia de ‘fraude do ponto’ de funcionários fantasmas envolvendo os deputados Paulo Corrêa (PR) e Felipe Orro (PSDB),  bateu recentemente às portas da Assembleia Legislativa em busca  de benefícios para o órgão e procuradores . Essa dependência não influenciaria na postura e decisões do MPE?  Eu só queria entender.


ELEIÇÕES 2018  Quais dos 8 deputados federais conseguirão conservar o mandato? Vários aspectos devem ser considerados numa avaliação inicial; desde a questão partidária até ao desempenho real dos mesmos. Dentre os possíveis postulantes o advogado Fábio Trad (PTB)  já é considerado um dos favoritos. Tem currículo.


A TECLA  que se bate é repetitiva, mas sempre atual. O deputado federal serviria apenas como mero despachante à serviço das cidades e Estado junto aos Ministérios e órgãos federais? Só isso bastaria? Não é por acaso que a maioria deles que passaram pela Câmara não deixaram sua marca. O argumento da grande concorrência é relativo.  


ALÍVIO  Mais um mês. O Governo Estadual consegue pagar em dia os salários dos servidores. Há gente frustrada que torcia pela impontualidade e o caos como ocorreu no Governo Marcelo Miranda. Sabe como é: quanto pior melhor. Esse pessoal ‘do contra’ finge ignorar a situação do Rio de Janeiro. PT. Saudações.


PELA VIDA  Tenho recebido notícias  do estado de saúde do ex-governador Marcelo Miranda. O quadro seria estável com ele submetendo-se as sessões de hemodiálise.  Justifica-se o registro neste espaço pela figura humana dele e nossas relações desde a época do Mato Grosso uno. 


“A gente sempre ficava no pé do Lula porque, no fundo, quem tinha metido a gente nesse enrosco era ele”. ( Marcelo Odebrecht)

Leia Também
Comente esta notícia
0 comentários
Publicidade
Mais em Manoel Afonso
Colunistas
Ampla Visão
Coluna do Roberto
Raquel Anderson
Enquete
Você acha que a operação Lama Asfáltica vai acabar com algum político ou autoridade na cadeia?
Sim
Não
Não sei
Copyright © 2004 - 2015
Todos os direitos reservados
Conjuntura Online
Rua São Remo, 390
Jardim Vilas Boas, Campo Grande / MS